Made In Heaven

A humanidade não é um estado a que se ascenda. É uma dignidade que se conquista.

Archive for Novembro 2007

Argumentos, letras e gemidos/vontade

with 3 comments

Mais do que tentarmos parecer inteligentes, quando não o somos, é importante que analisemos o que se passa à nossa volta. Não só é bom que o façamos, mas que o façamos genuinamente, sem tentarmos ser superiores a quem quer que seja. Isso é inveja, um caminho no mínimo, estúpido.
Analisamos o mundo com os olhos com que o vemos, logo, a análise que fazemos é segundo a forma como entendemos o que nos rodeia. Não se exige que se seja o supra-sumo da batata frita, mas que se tente apurar o mais possível a lucidez em cada um. O meu limite pode estar antes do teu e não é por isso que tu és mais inteligente ou eu sou mais limitado. Escusado será dizer que a lucidez de cada um é como a de cada qual. Cada um tem a sua e até há quem tenha a que não lhe pertence.
Se há caminhos estúpidos que nos levam a algum lado, também os há menos estúpidos, que nos levam até mais longe e parece-me mais enriquecedor que tentemos descobri-los, do que andar a seguir o rebanho só porque é intelectual. Várias caracteristicas comuns têm, sem dúvida, à exepção de por exemplo uma, uma que não me ocorre mas que vou tentar saber qual é.

A quem estiver à medida, faça o favor…
Hoje é Quarta-Feira
Portanto, bom fim de semana

Written by meph

Novembro 29, 2007 at 12:31 am

Publicado em Uncategorized

Tem vezes que só nos lembramos que somos daqui quando o carteiro nos bate à porta!!

with one comment

Em tempo de «Apocalipse Nacional», ainda há quem se dê ao luxo de aceitar caprichos de um estado qualquer. Coisas dispensáveis, sem algum interesse comum, exepto o próprio. Nesta casa apoia-se incondicionalmente tais atitudes, apenas condenando o facto, de estas serem postas à mercê de qualquer olho e ouvido esfomeado pelo estilo, assim como põe a descoberto outras; talvez motivações a constraste.
Talvez arrisque aqui um pouco da consideração que têm por estes dedinhos, talvez não, mas é precisamente essa consideração, superficial entenda-se, que quero arriscar. Quem não arrisca não petisca e eu gosto de petiscos à maneira. Maneiras qué assim… Façam uma análise muito rápida da nossa vida social e da de quem vos lembrar assim rapidamente. É o suficiente para perceber que é baseada no, “quanto melhor aspecto, melhor”. Aspecto sugere aparência e nem eu me lembraria de melhor conceito neste contexto. Ora acontece que, assim também rapidamente, quando se exerce exesso de aparência, outras qualidades, nomeadamente psíquicas, ficam de molho. Refugiadas, entupidas e calcadas… Isto pra dizer que nem toda agente que tem bom aspecto tenta o máximo* estimular certas qualidades que tem, quando sabe que as tem, e que nem toda a gente que por outro lado as estimúla, e de forma encantadora, tem o melhor aspecto.
Salvo seja, quando é possivel conjugar a palestra, então aí o caminho é <going to perfection>.

Uma nota: este espaço não se aconselha a quem sofra de vertigens, cabeça oca e varizes.
Querem-se aventuras, inteligência e pernas bonitas. Só para que conste

Bom Domingo

Leia o resto deste artigo »

Written by meph

Novembro 25, 2007 at 12:03 pm

Publicado em Uncategorized

Versão Original e já dizia o Deus das quebras de linha…

with 2 comments

…”a distinção entre nada e coisa nenhuma”.
Porventura faria sentido continuar por aqui a despejar escritos, sem nexo algum, ou menos ainda do que tem pra mim, se vocês quando aqui viessem deixassem de ser exigentes. Como se, dá cá aquela palha vamos ali porque não vamos a outro lado. Enquanto fazemos isto não fazemos outra coisa! E claro é que como exigentes que são, bifes com batatas todos os dias também não parece ser uma boa alternativa. A modos que lá pra lados de dois anos e qualquer coisa atrás, embora precisasse de transmitir certas coisas, não me apeteceu, vou tentar agora.
I´ll be back

Written by meph

Novembro 23, 2007 at 5:49 am

Publicado em Uncategorized

Quem tem algo por que viver, é capaz de suportar qualquer “como”

leave a comment »

 Quando ao fim de muito tempo que se sofre, há uma oportunidade de expôr esses longos tempos a uma multidão esfomeada, e encontrou se um jeito de transmitir por palavras, sem a básica descrição, aí, vai de experiência a loucura.
Depois não se arranja ninguém que se ria conosco. Preferimos rir-nos sózinhos de nós mesmos. Só há espaço para uma gargalhada, sinceramente preferimos ocupa-lo nós.
Terá que ser sempre surreal, abstrato, incondicional.
Raios partam os eufemismos

Written by meph

Novembro 20, 2007 at 6:24 pm

Publicado em Uncategorized

Ele conheceu-a numa noite em que não estava à espera de conhecer ninguém. Ela levou anos para o conhecer.

Written by meph

Novembro 12, 2007 at 1:46 pm

Publicado em Uncategorized

Há tempos atrás cometi um erro

Alinhei em vários registos ao mesmo tempo, opostos e desiguais, e sempre com o espírito aprendiz, comuns. Certo é que, me fascinei e como não conseguia ser tudo ao mesmo tempo e ser nada era uma ideia absurda, descontextualizada, tentei juntar e resumir tudo a duas personagens… Uma em cada extremo.
Logo, com é óbvio, por vezes misturaram-se muito intensamente. Tanto, que me levou a cometer outro erro, cruzando-se muitas vezes com o outro; apurar a essência das personagens, representando com mais alma e dedicação. Fui-me envolvendo e envolvi-me tanto ou tao pouco, que hoje tento perceber o modo com sofri, sofro e vou sofrer tais consequências.

Written by meph

Novembro 11, 2007 at 12:24 am

Publicado em Uncategorized

de novo, adorei a forma como devoravas o cigarro

Written by meph

Novembro 10, 2007 at 2:29 am

Publicado em Uncategorized