Made In Heaven

A humanidade não é um estado a que se ascenda. É uma dignidade que se conquista.

with 6 comments


Deveria eu, para atingir um outro diferente grau de popularismo, aliar-me a um esquema de um grupo integrado num certo espaço, há um certo tempo e com uma determinada consistência e influência?
hummmmmmmmm ;/

Deixaria de ser autêntico na minha onda e nas minhas convicções no que respeita à manutenção de meios, estratégias e tácticas para continuar a desenvolver a minha imagem, num certo espaço. Parece um projecto mas na prática até funciona, com o devido respeito e alicerces já estruturados.
Se há coisa que me aborrece fazer é planear seja o que for que esteja relacionado com o esquema comportamental num certo espaço e durante um certo tempo e se pensar nisso só na primeira pessoa então… mais aborrecido se torna. É uma tarefa tanto ao quanto complicada pela carga negativa que transporta, essa de representar um papel num certo espaço, durante um certo tempo. E como toda a carga negativa, mais momento menos momento tem que pairar no ar dum determinado espaço e durante um certo tempo; é agora, e como é óptimo fazê-lo de vez em quando!! Ajuda-me a descernir, a pensar sobre o assunto, como é óbvio. A forma como o faço ainda me fascina, já que ultimamente não tenho tido descargos de consciencia nem tenho trocado ideias com ninguém sobre isso.
Esse é outro ponto que tem feito sombra sobre mim. É o motivo por que me tenho isolado mais ultimamente. Sempre me isolei mas ultimamente tenho-o feito de outo jeito que por consequencia tem feito com que mais e mais me isole.
já antes se afastavam de mim e isso mantém-se, mas agora sinto diferente a maneira como o fazem; logo, penso que o estou a fazer de maneira diferente.
Exijo dos outros aquilo que é básico, mas de um jeito que nem sempre acontece. Manifestamente pode parecer um pouco forçado e percebo que “no fim da noite” acabo por entrar em choque, comigo mesmo.

Tudo se interliga e se torna um ciclo vicioso. Como quando antes, ao escrever, sentia um espirito de descoberta. A cada palavra surgia uma ideia, cada ideia sugeria muitas palavras e entretinha-me na organização das ideias através das palavras. Agora nao sei se perdi o dom de o fazer se são as ideias que já não se manifestam; se estou num estado de espirito em que uma palavra não é mais do que um conjunto de letras ou se não tenho tido tempo sequer para cultivar o estado de espírito, olhando para uma palavra.
Tenho uma mania… olhar para o que estou a escrever, e refiro isto porque ultimamente não sei o que é desenhar palavras senão palavras técnicas. Enfim…
Por vezes tenho a sensação do que o que escrevo é apenas literatura e os orgasmos  mentais que acontecem ao me lerem são meros frutos do resumo que as vossas cabecinhas fazem. É como se masturbarem com uma fotografia minha à frente.
Aos melhores e nem sempre acontece!

Anúncios

Written by meph

Fevereiro 25, 2008 às 4:51 am

Publicado em Uncategorized

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Prefiro saber que quando te olho, és tu quem eu vejo… simplesmente…

    Nunca ninguém verá as palavras que escreves da forma que tu as vês… a multiplicidade de personalidades, faz com que haja uma multiplicidade de pontos de vistas… mas, sabes, o importante é, sobretudo, a forma como tu te revês no que escreves… é o que importa… o resto?! bem… o resto são insignificâncias!

    ...Lu...

    Fevereiro 25, 2008 at 8:05 pm

  2. Ao ler o teu texto por vezes também me sinto assim, mas enfim é a vida.
    somos uma minoria no meio deste planeta.
    Continua a escrever a tua escrita é linda

    Ana

    Fevereiro 26, 2008 at 1:42 pm

  3. Escreve aquilo que queres.
    isso é que interessa.
    Não os outros.

    Bj.

    perola

    Fevereiro 26, 2008 at 9:36 pm

  4. Leio… releio… e fico com a impressão de que tive hoje uma conversa, em que passou por este assunto…

    Sê sempre tu mesmo! fiel a ti próprio!

    um beijo

    P.S.: Eu acredito que não perdeste o dom!

    Sandra Daniela

    Fevereiro 27, 2008 at 12:03 am

  5. ‘Agora nao sei se perdi o dom de o fazer se são as ideias que já não se manifestam’
    Corri meio mundo para encontrar palavras que dissessem o que s epassa comigo. finalmente encontrei-as.
    ** 😀

    Vanessa

    Março 3, 2008 at 4:59 pm

  6. Escreve o que te apetece, despeja vomita palavras põe como queiras e se só fizerem sentido para ti não faz mal!!

    Não te isoles, nada disso…sai nem que o faças ao abrir uma janela, basta isso…deixa o ar fluir na tua casa na tua vida!

    beijo

    lalisca.cs

    Junho 19, 2008 at 12:21 am


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: